A fé é tão importante para os refugiados quanto a água, a comida e o ar, diz o Élder Jeffrey R. Holland

O líder mundial da fé, o Élder Jeffrey R. Holland, pede mais apoio espiritual e emocional para os marginalizados e excluídos do mundo.

Comunicados de Imprensa

Dirigindo-se a uma audiência no Instituto Real de Assuntos Internacionais (Chatham House) em Londres, Inglaterra, o Élder Jeffrey R. Holland, do Quórum dos Doze Apóstolos de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, convidou as organizações não-governamentais (ONGs), governos e grupos religiosos para reorientarem os seus esforços para responder às crises pessoais e familiares sofridas pelos refugiados e desalojados.

 

O Élder Holland disse: “No passado, instituições de caridade forneciam apoio financeiro, tratamento médico e outras necessidades físicas para os refugiados, as quais ainda são necessárias. Mas entendemos agora que devemos também olhar para as necessidades emocionais e espirituais”.

O apóstolo dos santos dos últimos dias foi convidado a participar no evento pela Baronesa Nicholson de Winterbourne, presidente da AMAR International Charitable Foundation, que trabalha em estreita colaboração com a LDS Charities (o equivalente à Cáritas Católica) no esforço humanitário global.

Citando a severa perseguição sofrida pelo povo Yazidi no norte do Iraque (que inclui abuso sexual e tortura), o Élder Holland disse: “Cada comunidade tem diferentes desafios e diferentes razões para sua resiliência em enfrentá-los. Para muitos, especialmente para uma comunidade baseada na fé muito unida como os yazidis, a sua fé é o recurso crucial que surge profundamente das suas tradições sagradas.

“É tão precioso para eles quanto a água, a comida e o ar. Ao preservar a fé de uma pessoa, ajudamos a preservar o seu futuro”.

O Élder Holland sublinhou que a opressão dos yazidis é ainda mais complicada pelo fato de que o yazidismo é muito incompreendido como religião e tende a ser mantido à distância por outras instituições e organizações. Traçando paralelos modernos da história do século XIX, ele referiu-se à experiência inicial dos santos dos últimos dias.

“Eu não pretendo dizer que as experiências do meu povo são as mesmas que vemos em tantos lugares hoje. No entanto, todos os refugiados compartilham alguns denominadores comuns de dor e sofrimento, por isso talvez haja algo semelhante na perseguição de meus ancestrais há quase dois séculos.

“As coisas atingiram níveis de crise em 1838, quando o governador Lilburn W Boggs, do Missouri, divulgou sua infame “Ordem de Extermínio” declarando que os “mórmons” eram de fato inimigos e precisavam ser exterminados ou expulsos do Estado. Na verdade, estou diante de vocês como um oficial da única igreja na história dos Estados Unidos que teve uma "ordem de extermínio" emitida contra ela."

Cimeira de Windsor e reunião no Parlamento do Reino Unido

O evento da Chatham House seguiu a terceira conferência de Windsor deste ano, realizada no Cumberland Lodge, que abordou o tópico "Perseguição religiosa – fio condutor da migração forçada". O evento contou com a presença de acadêmicos, ativistas humanitários, e líderes religiosos incluindo o Dr. Edmund Newell, diretor da Cumberland Lodge. O Bispo de Derby, Dr. Alastair Redfern contribuiu significativamente para o relatório da conferência.

A Baronesa Nicholson, cuja organização apoiou a conferência de Windsor em associação com a LDS Charities, agradeceu ao Patrono da AMAR, o Príncipe de Gales, por seu “grande interesse desde o início desta iniciativa” que “decorre de sua profunda preocupação por aqueles em dificuldades com a liberdade de culto, e outras privações significativas que afetam a vida e a liberdade, como acontece com o sofrimento do povo Yazidi”.

“A parceria entre religiões e nacionalidades é fundamental para o futuro sucesso da iniciativa “Diálogo de Windsor”. A parceria única entre a AMAR International Charity Foundation e a LDS Charities está no coração do diálogo, que é realizado através do trabalho compartilhado para e com os Yazidis nos seus acampamentos temporários fornecidos pelas Nações Unidas. As Nações Unidas não podem fazer tudo; por isso, as instituições de caridade AMAR e LDS, assistidas por doações individuais e de empresas, trabalham intensiva e continuamente para cobrir o amplo abismo entre a necessidade e a realidade.”

Participante da conferência de Windsor, a irmã Sharon Eubank, presidente da LDS Charities, destacou a necessidade vital de todos os refugiados terem os seus espíritos revigorados por uma ligação contínua com a sua fé. “Falei antes sobre o trabalho muitas vezes negligenciado de suprir itens religiosos significativos para as comunidades. A LDS Charities é patrocinada por uma igreja cristã, mas podemos facilmente entender a importância e o conforto de exemplares do Alcorão e de tapetes de oração para uma mesquita inundada durante o tsunami do Sudeste Asiático. Ou o desejo das mulheres yazidis mais velhas de não substituírem os seus vestidos tradicionais brancos, usadas em parte como roupas religiosas. A LDS Charities forneceu máquinas de costura e tecidos para que os alfaiates Yazidi costurassem os vestidos da maneira apropriada. Estes são itens que podem não ter sido os mais urgentes na lista das necessidades materiais, mas são extremamente importantes para a saúde emocional e espiritual”.

O Élder Holland, a Baronesa Nicholson e a Irmã Eubank também participaram de uma mesa-redonda organizada pelo Grupo Parlamentar de Todos os Partidos para a Prevenção da Violência Sexual em Conflito, realizada no Parlamento do Reino Unido.

Veja a reportagem da reunião (em inglês):

Observação de Guia de Estilo: Em notícias sobre A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, pedimos que use o nome completo da Igreja na primeira referência. Para mais informações quanto ao uso do nome, aceda ao Guia de Estilo.