Comunicados de Imprensa

Atingido o marco dos mil milhões de registos na História da Família indexados por voluntários

As novas plataformas digitais permitem a realização da história da família em qualquer lugar

Em menos de sete anos, os voluntários já adicionaram mil milhões de registos pesquisáveis ​​no site gratuito de história da família fornecido por A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, FamilySearch.org. Os indexadores do FamilySearch atingiram este marco no final do mês de abril de 2013, combinando-se a perícia de um exército de voluntários de 164 países e territórios. Desde 2006, mais de 585 mil pessoas têm vindo a introduzir informações de documentos históricos, na sua maioria documentos manuscritos, numa base de dados pesquisável on-line - tarefa esta designada de indexação.

“Estamos impressionados e espantados com aquilo que os voluntários têm conseguido alcançar num espaço de tempo tão curto”, comentou Judson Mike, gerente do Departamento do Trabalho de Indexação do FamilySearch. “Acreditamos que é possível atingir o próximo marco de mil milhões ainda mais cedo do que o previsto. O facto de termos alcançado a marca de mil milhões é definitivamente um motivo para comemorarmos, mas também é um incentivo para continuarmos este trabalho.”

Os dezenas de milhares de voluntários indexadores são um grupo surpreendentemente diversificado, que integram membros da Igreja e de outras religiões. Apresentamos em seguida, com valores arredondados e por países, os que mais contribuíram para os biliões de registos até agora efetuados:

1. Estados Unidos da América — 397.000 voluntários, 889 milhões de registos
2. Canadá — 10.900 voluntários, 26,2 milhões de registos
3. Reino Unido — 8.500 voluntários, 17,4 milhões de registos
4. México — 16.800 voluntários, 5,6 milhões de registos
5. Austrália — 2.900 voluntários, 4,1 milhões de registos

Outros países que também já contribuíram grandemente são: a Argentina, o Brasil, a Ucrânia, a Venezuela, a Itália, a Nova Zelândia, a Bélgica e a Alemanha.

Voluntários de todas as idades, desde adolescentes a bisavós, apresentam-se on-line todos os dias e de todas as partes do mundo para ajudar a indexar registos genealógicos. Alguns doam alguns minutos por mês e outros várias horas por dia.

Depois de Jordan Hintze, um adolescente de Kaysville, Utah, ter aprendido acerca da indexação, ele decidiu ensinar outros 150 jovens o processo de indexação para um projeto de serviço e ficou agradavelmente surpreendido com a resposta que obteve. “Nós descobrimos que pizza e genealogia combinam muito bem”, comentou recentemente Hintze em RootsTech, uma conferência de história da família patrocinada pelo FamilySearch.
Judson explicou que a indexação é um sucesso porque pessoas de todos os estágios da vida têm em comum o interesse em ajudar os antepassados a ser recordados pelas gerações futuras.

 “Todos nós temos pais, todos nós temos avós, e universalmente, acho eu, estamos todos interessados ​​em saber como são essas pessoas e de onde vieram, o que acaba por nos ajudar a saber quem nós mesmos”, disse Judson. “Quanto mais registos conseguirmos indexar, mais pessoas poderão desfrutar da alegria de encontrar os seus antepassados ​​e descobrir as histórias que as ligam com passado.”

Os avanços tecnológicos têm rapidamente aumentado a velocidade e a precisão da indexação ao longo dos anos. Os voluntários participaram em vários formatos de indexação que envolvem o papel, microfilmes e cópias de CDs baseados em registos que remontam a 1921. Em 2006, quando o software de indexação do FamilySearch se tornou disponível on-line, os voluntários conseguiram transcrever entre 800 a 900 milhões de registos. Desde o seu lançamento, o número de registos indexados por voluntários duplicou.

A capacidade de pesquisar registos genealógicos on-line por nome, data e local está a ajudar a acelerar a pesquisa de história da família como nunca antes visto. Com 2,4 milhões de rolos de microfilmes na Granite Mountain Records Vault (Cofre de Registos da Montanha de Granito) da Igreja submetidos à conversão digital e 200 equipas do FamilySearch a fotografarem imagens dos arquivos, 35 milhões de novas imagens digitais provenientes de todas as partes do globo são publicadas online todos os meses.

Os voluntários estão atualmente a trabalhar em mais de 100 projetos on-line de indexação. Dois dos maiores são o Projeto de Imigração dos EUA e da Comunidade Naturalizada e o Projeto de Ancestrais Italianos.

Observação de Guia de Estilo: Em notícias sobre A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, pedimos que use o nome completo da Igreja na primeira referência. Para mais informações quanto ao uso do nome, aceda ao Guia de Estilo.