Comunicados de Imprensa

Noções Básicas dos Serviços de Bem-Estar e de Ajuda Humanitária: Como São Usadas as Doações e os Recursos

Quando o desastre da Barragem de Teton atingiu o Idaho, em 1976, provocando danos na ordem dos milhões de dólares, uma força de 45 mil Santos dos Últimos Dias foi enviada quase que de imediato para prover ajuda de emergência. Quando, em 2005, se desencadeou o furacão Katrina, os camiões de ajuda humanitária Mórmon chegaram antes da Guarda Nacional ter sequer autorizado a receção de ajuda. O derrame de petróleo na Coreia do Sul, no final de 2007, deparou-se com centenas de voluntários com planos de intervenção, mantimentos e mão-de-obra no espaço de dias. A catástrofe provocada pelo terremoto no Haiti, em 2010, foi de imediato socorrida com cerca de 70.000 kg de recursos alimentares e de emergência, e um mês depois, quando um devastador terremoto atingiu o Chile, uma ponte aérea de tendas, lonas, suprimentos e até fraldas foi rapidamente enviada.

A Igreja está interessada em ajudar os necessitados a tornarem-se autossuficientes a longo prazo, assim como em atender às suas necessidades imediatas. Três anos após o tsunami de 2004 ter devastado o Sudeste Asiático, os funcionários dos Serviços Humanitários SUD ainda estavam a trabalhar com organizações comunitárias com vista a prover ajuda e desenvolvimento a longo prazo. Para além disso, a Igreja doa regularmente cadeiras de rodas, financia esforços mundiais de programas de vacinação, fornece serviços de abastecimento de água potável, dá formação a médicos e voluntários nas áreas de reanimação neonatal, e oferece formação e tratamento na prevenção da cegueira em todas as partes do mundo, independentemente da raça, religião ou nacionalidade dos beneficiários.


Embora os esforços de ajuda humanitária da Igreja e as suas doações financeiras sejam um dado conhecido por alguns, poucos são os que percebem que estes representam apenas uma fração dos custos e dos recursos envolvidos na implementação destas iniciativas. Para além disso, pode não ser muito conhecido que a Igreja patrocina muitos outros programas de auxílio, que incluem a ajuda de bem-estar, vastos serviços profissionais, de aconselhamento, de reabilitação e outros. Estes serviços envolvem milhões de horas doadas por médicos Santos dos Últimos Dias, enfermeiros e outros membros da Igreja todos os anos. Milhares de profissionais e voluntários doam livremente do seu tempo e recursos em prol dos necessitados, sem esperarem qualquer tipo de reconhecimento, publicidade ou recompensa.

Embora as ofertas de jejum e as doações humanitárias se destinem, na sua totalidade, a prover ajuda aos necessitados, as despesas gerais e administrativas associadas a estes programas - para além dos recursos necessários para a construção de instalações de sede e armazenamento e os serviços de entregar dos suprimentos de ajuda humanitária por todo o mundo, a formação dada aos voluntários e assim por diante - são despesas suportadas unicamente pela Igreja. Atualmente, graças a uma infraestrutura robusta, a Igreja continua a aliviar a fome, a sede, o sofrimento e a miséria de milhões de pessoas ao redor do mundo e a capacitar os indivíduos e as comunidades ajudando-as a tornarem-se mais autossustentáveis.

Porque Doamos?
Como discípulos de Jesus Cristo, os membros de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias procuram seguir a admoestação do Salvador de alimentar os que têm fome, dar de beber aos que têm sede, hospedar os estrangeiros, vestir os nus e visitar os que estão doentes e na prisão (ver Mateus 25:35–36).  Por meio dos esforços de indivíduos, famílias e de programas da Igreja, é provida ajuda espiritual e temporal a milhões de necessitados.

Um estudo recente patrocinado pela School of Social Policy and Practice (Faculdade da Política e Prática Social) da Universidade da Pensilvânia centrou-se nas doações e voluntarismo dos Santos dos Últimos Dias ativos nos Estados Unidos da América.  O Professor Ram Cnaan e uma equipa de investigadores analisaram os dados de uma pesquisa realizada entre uma grande amostra de membros Santos dos Últimos Dias ativos de todo o país. Com base nos seus resultados, os autores concluíram que os Santos dos Últimos Dias ativos “voluntariam-se e doam muito mais” do que a média nacional. “Independentemente do local onde vivem, eles são muito generosos com o seu tempo e com o seu dinheiro”, Cnaan, especialista em serviços sociais baseados na fé e o principal autor do estudo, afirmou que: “Através de uma teologia de obediência e sacrifício e um forte compromisso com o dízimo e com a prestação de serviço, os Santos dos Últimos Dias são cidadãos-modelo.”
 
Distribuição das Doações e Recursos
Apresentam-se em seguida algumas das formas como os recursos e as doações SUD são utilizadas:

Dízimo
Os membros de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias seguem o princípio bíblico do dízimo, que consiste na doação de dez porcento dos nossos rendimentos à Igreja. Estes fundos são usados para:

  • Prover edifícios ou locais de adoração para os membros de todas as partes do mundo. Temos milhares de edifícios e continuamos a erguer mais, chegando a inaugurar vários numa só semana.
  • Prover programas de formação académica, que incluem apoio às nossas universidades e programas de seminários e institutos.
  • Financiar o programa missionário da Igreja a nível mundial.
  • Construir e manter em funcionamento quase 140 templos por todo o mundo e financiar a administração do maior programa de história da família do mundo.
  • Financiar os programas de bem-estar e de ajuda humanitária da Igreja, que servem pessoas de todas as partes do mundo — quer estas sejam membros, ou não, da Igreja.

Ofertas de Jejum
No primeiro Domingo de cada mês, os membros da Igreja saudáveis são incentivados a jejuar por duas refeições consecutivas e a doar à Igreja a quantia que gastariam nas mesmas. Estes fundos destinam-se a prestar auxílio nas congregações locais, onde os líderes Mórmons, de modo confidencial, distribuem os fundos pelos necessitados, tendo como meta final a sua eventual autossuficiência.

Ajuda Humanitária
A Igreja participou em mais de 200 grandes iniciativas de apoio a catástrofes, que incluíram o terremoto e tsunami no Japão em 2011, o terremoto no Haiti em 2010, o terremoto no Chile em 2010, as inundações no Paquistão em 2010, o tsunami de Samoa em 2009, o tufão nas Filipinas em 2009, o terremoto na Indonésia em 2009, a fome na Etiópia em 2008 e muitos outros. Naturalmente, a Igreja implementa estes projetos sem levar em conta a nacionalidade ou a religião dos beneficiários.

Quando ocorre uma catástrofe, os Santos dos Últimos Dias colaboram com os governos locais com vista a determinar quais os alimentos e suprimentos que são necessários. Os materiais são, então, adquiridos ou reunidos localmente ou enviados de armazéns SUD. Depois das necessidades urgentes terem sido atendidas, a Igreja analisa outras formas de ajudar a longo prazo. A nossa abordagem é sempre a de ajudar as pessoas a se tornarem autossuficientes, dando-lhes formação e provendo recursos para uma vida autossustentada.
Todos estes esforços são possíveis devido às generosas doações dos Últimos Dias e de muitos outros indivíduos e organizações caritativas. Cem por cento das doações enviadas para os Serviços Humanitários da Igreja vão diretamente para os necessitados; sendo que a Igreja suporta todas as despesas administrativas.

Embora a ajuda de emergência prestada pela Igreja a grandes catástrofes atraia mais atenção por parte da comunicação social, os Santos dos Últimos Dias envolvem-se em muitas outras iniciativas menos visíveis. Para além da ajuda humanitária da Igreja, as doações patrocinam diversos projetos mundiais que se desenrolam continuamente. O recém-criado site interativo ldscharities.org apresenta iniciativas locais e projetos internacionais desencadeados em todas as partes do mundo.

As iniciativas locais são baseadas nas necessidades locais e implementadas por meio de projetos especialmente criados para regiões específicas em colaboração com os líderes locais. Estes projetos incluem:

  • Formação em reanimação neonatal: prover formação em reanimação e equipamento médico para especialistas e organizações na área da saúde todos os anos, nos países com maior índice de taxa de mortalidade infantil.
  • Projetos de água potável: trabalhar com os líderes das comunidades locais com vista a prover o acesso a água potável por meio da construção de poços e outros sistemas de distribuição de água em países onde este mesmo acesso não se encontra disponível.
  • Iniciativas de produção alimentar e nutrição: prover formação a famílias e comunidades com vista a aumentar a produtividade e a autossuficiência por meio da formação nas áreas da nutrição e produção alimentar doméstica.
  • Distribuição de cadeiras de rodas: trabalhar em parceria com as organizações locais com vista a prover cadeiras de rodas aos portadores de deficiências motoras.
  • Tratamento da visão: prover equipamento e formação local ao pessoal médico qualificado na realização de cirurgias oftalmológicas e prevenção da cegueira.
  • Vacinação Infantil: estabelecer parcerias com organizações não-governamentais (ONG) com vista a prover programas de vacinação contra o sarampo, a tosse convulsa e outras doenças.

Estes programas são possíveis não só pelas doações como também pelo tempo, esforços, perícia e recursos de inúmeros voluntários que proveem a formação e a mão-de-obra que permitem a existência destes serviços.

Programa de Bem-Estar
Embora a ajuda humanitária esteja, internacionalmente, direcionada para comunidades e indivíduos que não partilham da nossa fé, os Santos dos Últimos Dias também contribuem para o programa de Bem-Estar, que é essencialmente projetado para cuidar dos necessitados que estão sob a responsabilidade   da Igreja, sendo que, a critério dos bispos, os fundos locais também podem, sempre que possível, ajudar os necessitados que não pertencem à nossa religião. Estes serviços funcionam sob princípios que estimulam a autoconfiança e o autorrespeito. A título de exemplo, aos beneficiários destes recursos é dada a oportunidade de trabalhar - na medida da sua capacidade - pela assistência que recebem ou a pagar, posteriormente e de outras formas, pelos serviços que receberam. Os custos indiretos são suportados por outras fontes de financiamento.

As doações dos membros da Igreja tornam possível a implementação dos programas e dos recursos dos serviços de autossuficiência, auxílio e ajuda de emergência. Para além de atender às necessidades de alimentos, roupas e abrigo, estes programas incluem serviços de reabilitação profissional e oportunidades de emprego para os cidadãos, imigrantes e refugiados e patrocinam serviços de aconselhamento e de adoção, bem como grupos de apoio na recuperação de dependências e recursos para os desafios sociais, emocionais e espirituais.
Geralmente, os indivíduos dependem da ajuda alimentar da Igreja por apenas três a seis meses antes de se tornarem novamente autossuficientes.

Em 2011, registavam-se cerca de 10.000 missionários voluntários a servir nos serviços de bem-estar, provendo serviços como a gestão dos centros de emprego, o ensino de Inglês como segunda língua, o ensino de técnicas para melhorar o relacionamento entre cônjuges e filhos, a melhoria das técnicas agrícolas e médicas e a distribuição de roupa.
A colunista do Wall Street Journal, Naomi Schaefer Riley, descreveu o programa de bem-estar SUD como um sistema que “impede que quase ninguém caía no abismo e, ao mesmo tempo, garante que os seus beneficiários não se tornam dependentes por toda a vida.”

Fundo Perpétuo de Educação
As doações para o Fundo Perpétuo de Educação (FPE) apoiam os Santos dos Últimos Dias em alguns países fora dos Estados Unidos nos seus esforços para adquirir formação técnica, profissional ou académica. Os empréstimos são concedidos a juros mínimos, e os participantes fazem o melhor que podem para pagar o empréstimo no menor prazo possível, para se verem livres da dívida e permitiram que o dinheiro se torne disponível para outros que precisam de ajuda. Os reembolsos dos atuais beneficiários e novas doações são usados para fazer novos empréstimos para estudantes que se qualificam para o programa. Todas as despesas administrativas do programa do FPE são suportadas pela Igreja, deixando assim a totalidade das doações para os empréstimos. Mais de 50.000 estudantes já foram ajudados por esses empréstimos, com uma taxa de 90 por cento de “pagamento ao próximo beneficiário”.

Serviços Familiares SUD
Os Serviços Familiares SUD são financiados por doações de caridade e proveem serviços  de aconselhamento relacionados com a recuperação de dependências, a resolução de conflitos familiares e de casos de abuso e outras questões que afetem indivíduos, casais e famílias a um custo baseado na capacidade financeira da família beneficiada. Eles também ajudam a financiar os serviços completos de adoção para membros e prestam serviços aos pais e famílias biológicas (independentemente da sua fé). As doações ajudam aqueles que não conseguem suportar o custo desses serviços.

Programa “Mórmons - Mãos que Ajudam”
A Igreja também patrocina o programa “Mórmons - Mãos que Ajudam”, que reúne os membros da Igreja e os seus vizinhos em projetos de serviço comunitário por todo o mundo. Conhecidos pelos seus coletes amarelos, estes voluntários ajudam aqueles cujas vidas foram afetadas por catástrofes ou outras emergências. Os voluntários também estabelecem parcerias com o governo e organizações sem fins lucrativos com vista a apoiar e melhorar as comunidades onde residem; eles limpam parques, restauram estruturas públicas e realizam vários outros serviços comunitários. Originalmente iniciado na América do Sul, o programa espalhou-se por quase todos os cantos da terra. Centenas de milhares de Santos dos Últimos Dias e outros voluntários já doaram milhões de horas de serviço às suas comunidades através deste programa.

Tempo
É claro que nem todas as doações podem ser avaliadas monetariamente. O tempo é um recurso precioso, e os Santos dos Últimos Dias doam-no generosamente. De acordo com os dados do estudo  Penn, um Santo dos Últimos Dias ativo doa voluntariamente 427,9 horas por ano em prol de causas caritativas (35,6 horas por mês - 57 por cento das quais são para fins religiosos). Eles despendem uma média de 150 horas por ano a servir em iniciativas sociais da Igreja e da comunidade, como é o caso dos programas mundiais de Bem-Estar e de Ajuda Humanitária da Igreja. O estudo relatou que os membros doam individualmente mais 34 horas anuais extras para outras causas sociais não relacionados com a Igreja. Em 2011, foram doados quase sete milhões de horas de trabalho apenas nas instalações de Bem-Estar da Igreja.

Outras Doações
Os Santos dos Últimos Dias esforçam-se por seguir a admoestação bíblica de se “ocuparem zelosamente numa boa causa.” Uma abundância de boas causas pode ser encontrada fora dos programas patrocinados pela Igreja, e os membros são encorajados a ser generosos com o seu tempo e recursos na medida das suas possibilidades. Segundo o estudo Penn, um Santo dos Últimos Dias ativo doa generosamente em prol de causas caritativas não-relacionadas com a Igreja.

Em busca de Boas Obras
O sucesso do programa de Bem-Estar da Igreja deve-se ao mérito de cada Santo dos Últimos Dias fiel e dos seus vizinhos que voluntariamente doam do seu tempo e dinheiro e apoio aos necessitados. O montante total dos auxílios concedidos por estes esforços não é divulgado, mas seria relevante independentemente da unidade de medida usada. Como vários estudos independentes já demonstraram, não restam dúvidas de que os Santos dos Últimos Dias ativos são generosos com o seu tempo e recursos. Os Santos dos Últimos Dias não doam em busca de elogios por parte de outros, mas porque eles seguem o Senhor e o Salvador Jesus Cristo, que nos ensinou a amarmo-nos e a servirmo-nos uns aos outros. A Igreja está consciente da admoestação de Cristo de “não darmos as nossas esmolas diante dos homens, para sermos vistos por eles.” Ao mesmo tempo, leva a sério o apelo do Salvador: “assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus.” Os esforços de prover auxílio, levados a cabo pela Igreja, procuram alcançar este equilíbrio.
 

Recursos Adicionais

Observação de Guia de Estilo: Em notícias sobre A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, pedimos que use o nome completo da Igreja na primeira referência. Para mais informações quanto ao uso do nome, aceda ao Guia de Estilo.