SALA DE IMPRENSA
Blog

Programa de autossuficiência da Igreja resulta em mudanças temporais e espirituais

Cursos ajudaram mais de 670.000 pessoas em todo o mundo.

                               

Um envelope foi entregue a Toni Sleight e o seu marido, Thomas, sentados num banco antes da reunião sacramental.

Dentro dele havia um convite para o casal participar no curso de finanças pessoais, um dos quatro cursos de autossuficiência, desenvolvidos pela Igreja, para ajudar os membros nas necessidades espirituais e temporais da vida.

Inicialmente, Toni Sleight, de 70 anos, resistiu à ideia. Porquê eles? E se ela tivesse que falar sobre os detalhes embaraçosos da sua situação financeira? Ela não queria que as pessoas soubessem esses detalhes. Havia também um compromisso significativo de tempo - duas horas por semana durante 12 semanas. Era demais.

Então Toni Sleight considerou a alternativa: mais noites sem dormir gastas virando e revirando-se na cama, enquanto pensava na situação financeira deles. Ela tinha-se reformado quatro anos antes e eles tinham mudado para uma pequena casa em Garland, Utah. Mas os problemas de saúde do seu marido de 73 anos interromperam os seus planos e os obrigaram a pedir ajuda ao bispo.

Suas perspetivas de longo prazo pareciam sombrias. O marido dela não podia trabalhar. Ela não tinha a carta de condução e quem a contrataria com aquela idade? Ficou claro que eles precisavam de ajuda.

Confiando na compreensão do bispo sobre a situação deles, Toni Sleight encheu-se de coragem e aceitou o convite, uma decisão que fez toda a diferença para ela e seu marido.

“Foi a fé que me levou a aceitar a oportunidade, e o curso ajudou-me a ter a fé de que eu poderia fazê-lo”, disse Toni Sleight. “A autossuficiência mudou-me. A minha fé foi fortalecida porque sei que sou capaz de fazer muito mais do que fazia antes. Há uma paz e sentimento de gratidão que vem com tudo isso.”

Sleight é apenas uma das centenas de milhares de pessoas cujas vidas foram abençoadas e enriquecidas pela iniciativa de autossuficiência da Igreja. Servir como facilitador da classe não só ajudou outra mulher a voltar à atividade na Igreja, mas também levou a que ela e seu marido fossem selados no templo.

                                             

O Élder Michael Ringwood, Setenta Autoridade Geral e diretor executivo dos Serviços de Autossuficiência da Igreja, disse que desde que começaram a manter registos em 2015, os quatro programas de “Finanças Pessoais”, “Encontrar um Emprego Melhor”, “Educação para Um Emprego Melhor” e “Iniciar e Melhorar o meu Negócio” ajudaram mais de 670.000 pessoas em todo o mundo.

"Para mim, essa é uma das maiores coisas que já vi na Igreja", disse o Élder Ringwood. "Uma das bênçãos é que eu vejo pessoas em todo o mundo dispostas a ajudarem-se umas às outras, dispostas a ministrar umas às outras de uma forma que permita às pessoas proverem o sustento para elas próprias. Isso permite que as pessoas alcancem um nível espiritual diferente no seu relacionamento com o Pai Celestial e o Salvador. E isso ajuda a aliviar a carga sobre os bispos. "

A iniciativa de autossuficiência, desenvolvida pela Igreja há menos de cinco anos, funciona sob a direção dos líderes locais do sacerdócio. Os membros são convidados ou incentivados a participar num de quatro cursos de 12 semanas em que aprendem a praticar princípios de fé, trabalho árduo, educação e confiança no Senhor. Cada participante é responsável perante os outros membros do seu grupo e, no processo, recebe o que o Presidente Gordon B. Hinckley disse que todo converso precisa: um amigo, uma responsabilidade e ser nutrido pela boa palavra de Deus, disse o Élder Ringwood.

A iniciativa está a fazer muita diferença. Através de uma pesquisa para acompanhar o progresso dos graduados seis meses depois de concluírem um curso, entre janeiro de 2016 e junho de 2018, a Igreja  verificou que:

  • 41% melhoraram sua capacidade de suprir as necessidades da vida para si e para suas famílias.
  • 61% melhoraram sua capacidade de trabalhar diretamente com o Senhor para resolver seus próprios problemas.
  • 40% aumentaram o seu rendimento.
  • 38% aumentaram as suas economias.
  • 59% diminuiram as suas dívidas de consumo.

Ao acompanhar os resultados específicos de cada grupo seis meses após o final de um curso, entre janeiro de 2016 e junho de 2018, a Igreja descobriu:

  • 61% iniciaram ou desenvolveram os seus próprios negócios.
  • 47% conseguiram um novo ou melhor emprego.
  • 52% iniciaram um novo programa de educação ou qualificação profissional.
  • 58% daqueles que não faziam um orçamento antes de frequentar o curso agora têm e usam-no.
                    

Ao relatar as muitas histórias de sucesso temporal ou material, muitos descreveram também uma mudança espiritual, disse o Élder Ringwood.

“Eles mencionam sempre o que também aconteceu com eles espiritualmente. Chamamos isso de autossuficiência temporal e espiritual, mas estamos realmente focados nas pessoas que precisam de educação, que precisam de emprego, precisam iniciar e desenvolver um negócio próprio e precisam de ajuda para administrar as suas finanças. É por isso que existimos, para ajudar essas pessoas”, disse o Élder Ringwood. “Mas é animador ter pessoas relatando o que isso lhes fez espiritualmente. Ouvimos o tempo todo: "Eu não tinha ideia de que o Pai Celestial se importava com o meu trabalho" ou "Eu não fazia ideia de que Ele se importava com a minha educação." Eles começam a orar, ponderar e a trabalhar juntos, e é maravilhoso o que acontece com eles do ponto de vista espiritual e pessoal.”

À medida que o programa de autossuficiência continua a crescer, o Élder Ringwood espera que ele possa ser usado como uma ferramenta para ministrar.

“Esta é uma das muitas ferramentas que a Igreja tem atualmente que ajuda um irmão ou irmã ministrador a ministrar aos outros”, disse o Élder Ringwood. “Eles visitam uma família e descobrem que têm desafios com as suas finanças, por exemplo. A oportunidade de ministrar será convidá-los a irem com eles às aulas do grupo de “Finanças Pessoais”. Desta forma você está a dar-lhe uma ferramenta que os ajude a atender às suas necessidades.”

Para Carol Hyatt, servir como facilitadora de autossuficiência em sua ala em Oregon mudou sua vida.

Depois de mais de 40 anos longe da Igreja, Carol e Ted Hyatt começaram a voltar. Tendo ambos mais de 70 anos, Ted Hyatt sentiu a urgência de ser selado à esposa no templo, mas ela tinha reservas quanto ao pagamento do dízimo e não estava pronta. De fato, ela disse a seu bispo que não lhe pedisse para falar ou aceitar um chamado na Igreja. Ela só queria ir à igreja por um tempo, disse ela.

O seu bispo, Todd A. Josi, conhecia o casal desde menino. Ele estava animado para vê-los voltar à Igreja e não queria apressar as coisas. Um dia, durante uma longa viagem, o bispo teve uma forte impressão de que, se ele pedisse a Carol Hyatt para servir como facilitadora de um grupo de autossuficiência, isso resolveria as suas dúvidas sobre o dízimo, disse ele.

Inicialmente Carol Hyatt estava relutante. Ela considera-se uma pessoa tímida e desconfortável à frente de outras pessoas. Mas quando ela percebeu que não tinha que ensinar, apenas dirigir uma discussão, ela concordou em fazê-lo.

"Às vezes você está no lugar certo na hora certa", disse Carol Hyatt. "Foi o grupo certo e o momento certo para mim. Eles ajudaram-me a recuperar a minha fé de que eu precisava pagar o dízimo".

Durante as aulas, Carol Hyatt percebeu que ela era a única do grupo que não pagava o dízimo. Os membros do grupo compartilharam as suas experiências e testemunhos sobre o dízimo e, na 11ª semana do curso, Carol Hyatt disse ao bispo Josi que estava pronta para pagar o dízimo.

Em 26 de maio, um dia após o 58º aniversário de casamento, Ted e Carol Hyatt foram selados no Templo de Portland, Oregon. Eles compartilharam aquele dia especial com os membros do grupo de finanças pessoais de Carol, com o bispo Josi e outros amigos da ala.
"Foi irreal", disse Carol Hyatt. “Significava muito para nós que a classe estivesse lá para nos apoiar. Ficamos emocionados por todos estarem lá.

                   

O bispo Josi disse que ver a experiência se desenrolar foi uma "experiência maravilhosa e espiritual". Também foi bom ver o vínculo especial criado pelo grupo durante o curso.
“O Pai Celestial sabia exatamente do que precisava e como precisava acontecer”, disse o bispo Josi. “Ele simplesmente proporcionou tudo para ela de uma forma maravilhosa. Ela é uma pessoa especial”.

Falando do programa de autossuficiência em geral, o bispo Josi observou que ele costumava ter uma fila do lado de fora de seu escritório, de pessoas com problemas de bem-estar material. Como cada um aceitou o convite para participar do programa de autossuficiência, a fila foi gradualmente desaparecendo, disse ele.

"Eles desapareceram", disse o bispo Josi. “Este programa tirou-me um peso tão grande como bispo. Nem sei como dizer. O programa é simplesmente maravilhoso”.
Seguir os princípios da autossuficiência também resultou numa situação material melhor para Toni e Thomas Sleight.

Depois de concluir o curso, Toni Sleight conseguiu um emprego em Logan, a 30 minutos de sua casa. Como ela não tinha carta de condução, os membros da ala que trabalhavam na área e o marido davam-lhe uma boleia para o trabalho. Mais tarde surgiu uma oportunidade de trabalhar como caixa numa mercearia perto de casa, eliminando assim a despesa das viagens. O seu marido perdeu peso e está se sentindo melhor hoje em dia. Com o rendimento adicional que o seu emprego proporciona, “o futuro parece mais brilhante”, disse ela.

O seu bispo, Bradley Rhodes, vê uma mudança positiva na sua face.

"Eles estavam destroçados", disse o bispo Rhodes. "Agora há luz e esperança nas suas faces, não apenas por causa da situação familiar e do futuro, mas também vejo isso aqui e agora no presente. Ela tem confiança. Ela tem uma luz e alegria que antes estavam ausentes."

Saiba mais sobre a iniciativa de autossuficiência acedendo ao site LDS.org ou visitando a página no Facebook.

(Adaptado do artigo do LDS Church News)

Pesquisar o Blog

Acerca do Blog

Este blog é gerido e escrito pela equipa de Relações Públicas de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. As informações aqui apresentadas são fiáveis e precisas mas não devem ser necessariamente vistas como declarações oficiais da Igreja. O objetivo deste blogue é de fornecer aos jornalistas, bloggers e ao público contexto e informações adicionais referentes a temas públicos que envolvam a Igreja no país e no mundo. Para aceder a comunicados de imprensa ou a declarações da Igreja, visite www.saladeimprensamormon.pt.

Observação de Guia de Estilo: Em notícias sobre A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, pedimos que use o nome completo da Igreja na primeira referência. Para mais informações quanto ao uso do nome, aceda ao Guia de Estilo.