Tópico

O Início da História da Igreja

A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias foi organizada em 6 de abril de 1830 em Fayette, Nova York. Com o crescimento da Igreja, novos conversos uniram-se a ela em Ohio e Missouri. Enquanto os santos dos últimos dias em Kirtland, Ohio, enfrentavam perseguição, os membros no Missouri andavam errantes de cidade em cidade sob o ataque de turbas violentas. Tendo sido expulsos do Missouri em 1839, os membros da Igreja reuniram-se em Illinois e construíram uma próspera comunidade na curva pantanosa do Rio Mississippi. Entretanto, depois de sete anos, foram forçados novamente a abandonar suas casas. Liderados por Brigham Young, esses pioneiros viajaram por 2.092 quilômetros rumo ao oeste para o Vale do Lago Salgado.

  • O primeiro templo construído pela Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias ficava em Kirtland, Ohio. Apesar do custo estimado de 40.000 dólares — que convertidos na economia atual somariam aproximadamente três quartos de um milhão de dólares — os membros da Igreja estavam comprometidos a construir o templo. Com frequência os homens trabalhavam na construção durante o dia e passavam a noite protegendo o templo das turbas. Próximo ao término de sua construção em 1836, os membros doaram objetos de vidro e porcelana que foram moídos e misturados à argamassa para dar ao templo uma aparência reluzente.
  • Sob a orientação de Joseph Smith sete missionários viajaram para Liverpool, Inglaterra e abriram a Missão Britânica em 1837. Depois de nove meses de pregação em igrejas, salões alugados ou de porta a porta, havia quase 2.000 novos conversos. Quando 800 membros da Igreja se reuniram em 1863 para viajar rumo à América a bordo do Amazon, o autor britânico Charles Dickens entrou no navio para observar. Ao notar sua ordem e organização, ele comentou que os conversos mórmons se comparavam à “fina nata da Inglaterra”.
  • Em 1838, o governador do Missouri Lilburn W. Boggs emitiu a abominável “Ordem de Extermínio”. A ordem veio em resposta aos relatórios exagerados de incidentes entre os santos dos últimos dias e os moradores mais antigos do Missouri. Ela declarava: “os mórmons devem ser tratados como inimigos e devem ser exterminados ou expulsos do estado, se necessário, para o bem público”. Apesar de não ser aplicada desde meados de 1800, a ordem não foi oficialmente rescindida até 1976 — 138 anos mais tarde.
  • Depois que os membros da Igreja foram expulsos de Ohio e Missouri, eles se estabeleceram em Commerce, Illinois — na curva pantanosa do Rio Mississippi. A cidade recebeu o novo nome de Nauvoo em outubro de 1839, nome derivado de uma palavra hebraica que significa algo agradável e belo, ou um lugar de descanso e beleza. Com a reunião dos santos dos últimos dias em seu novo refúgio, a população da cidade aumentou para aproximadamente 12.000 moradores. Nauvoo logo se tornou um grande centro de comércio, comparando-se com Chicago em tamanho.
  • À medida que Nauvoo crescia, aumentava a oposição das turbas. Os santos dos últimos dias construíram um templo em Nauvoo, mas quando ele foi dedicado, eles novamente foram expulsos de seus lares. O templo foi abandonado, profanado pelas turbas e depois destruído por um incêndio intencional em 1848. Um século e meio mais tarde, o Templo de Nauvoo foi reconstruído usando o planejamento original e dedicado pelo antigo Presidente da Igreja Gordon B. Hinckley, em junho de 2002. Entre fevereiro e setembro de 1846, a maioria dos membros da Igreja foram expulsos de seus lares em Nauvoo. Muitos deles fugiram descendo uma rua, o que atualmente é citado como a “Rua de Lágrimas”. Durante o inverno inclemente o Rio Mississippi ficava congelado, o que permitiu a muitos membros da Igreja atravessá-lo a pé ou em carroções. Membros descreveram em seus diários que esse congelamento foi um milagre, apesar de um ter escrito de forma espirituosa que: “foi um milagre que quase congelou uns dois mil santos”.

Observação de Guia de Estilo: Em notícias sobre A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, pedimos que use o nome completo da Igreja na primeira referência. Para mais informações quanto ao uso do nome, aceda ao Guia de Estilo.