Comunicados de Imprensa

Mórmons Doam Quatrocentas Mil Árvores ao Haiti

Foi uma coincidência perfeita: O Dia da Agricultura e o Dia Nacional do Haiti, um dia no qual os Haitianos são encorajados a realizarem trabalho voluntário, marcado pela plantação de cerca de 25 mil árvores doadas pela Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Mais de 1800 mórmons e vizinhos disponibilizaram-se para plantar este recurso tão necessário.


“É interessante que as árvores... não são apenas árvores de sombra nem servem apenas para ajudar à conservação dos solos,", disse o Elder Wilford W. Andersen, da presidência da Área das Caraíbas da Igreja. “São árvores de fruto que irão ser plantadas nas margens dos rios, nas encostas montanhosas e um pouco por todo o país. E se perguntarem aos próprios haitianos sobre quem vai colher os frutos, eles responderão, “quem quer que tiver fome."


Voluntários trabalharam um conjunto de mais de 11 mil horas em temperaturas acima dos trinta graus, escavando buracos, formando linhas de trabalho para plantar o primeiro lote de árvores. Outras 75 mil árvores estão previstas ser plantadas no final do corrente ano, fazendo com que o total chegue às 400 mil árvores, ao longo deste projeto de 5 anos.


O projeto insere-se no compromisso que a Igreja tem presentemente com o povo do Haiti de reconstruir um país que ainda se recupera da destruição generalizada após o terramoto de 2010 que se estima que tenha provocado a more de 300 mil pessoas.


Os líderes da Igreja local organizaram o trabalho voluntário junto de amigos e vizinhos, envergando  os coletes amarelos do Mórmons – Mãos Que Ajudam, para se proceder à plantação das pequenas árvores. “Vejo um grande grupo de pessoas aqui hoje.” Afirmou Berthony Theodor, um gestor de projeto voluntário local da Igreja em Port-au-Prince. “Eles representam o Senhor, porque estão a fazer exatamente aquilo que Ele faria se estivesse aqui na terra.


A plantação teve lugar em seis cidades e em três regiões próximas da capital Port-au-Prince. A presidente da câmara de Petion-ville disse que tinham sido “enviados por Deus” ao ver as sete mil árvores plantadas na sua comunidade num único dia, com mais 4 mil a serem plantadas nos meses seguintes. “Eu estou feliz e muito orgulhosa,” afirmou a Presidente Mayor Minerve Yvanka Jolicoeur Brutus. “Não estou surpreendida porque isto é uma boa ação e isso tem tudo a ver com aquilo que é a Igreja. Estamos muito gratos e esperamos que este seja o início de uma parceria que só agora iniciámos.”


Os líderes do governo ajudaram a selecionar que tipo de árvores teriam o maior impacto para embelezar os campos. As árvores irão adornar grandes complexos desportivos e parques comunitários, irão preencher grandes faixas de terreno sem qualquer vegetação devido a anos de desflorestação descontrolada e irão melhorar os bairros reconstruídos que haviam sido muito afetados pelo terramoto.

Um grande número de famílias foi realojado para acampamentos em áreas quase desérticas ao norte de Port-au-Prince, logo após o terramoto. Agora, as árvores serão plantadas nos novos bairros que foram reconstruídos nessas áreas, onde inclusivamente a Igreja já construiu 150 casa familiares firmes, ao longo dos últimos 3 anos.


Quando o projeto estiver completo, os voluntários Santos dos Últimos Dias e os seus vizinhos terão plantado 400 mil árvores, doadas pela Igreja, que irão salpicar as zonas rurais, cidades e bairros de todo o Haiti.  Isto é muito encorajante,” disse Christian Dieugerville de Petion-ville. Gesticulando na direção de uma ravina sem vegetação, continuou dizendo, “que aquilo era tão denso que não se conseguia passar por lá, por causa das muitas árvores. Agora… sempre que chove a água leva tudo à frente e inunda toda a rua.”


O projeto de reflorestação da Igreja é uma iniciativa apoiada pelo Primeiro-ministro do Haiti, Laurent Lamothe. O Primeiro-ministro confirma que a reflorestação é umas principais prioridades do país. O Elder Andersen afirma que, “os membros da Igreja falavam sobre a reflorestação como um projeto especial, desde que aconteceu o terramoto. Por isso a convergência dos dois interesses realizou-se agora e no tempo certo, fazendo com que este projeto tomasse forma.”


O projeto também coincide com o 30º aniversário da Igreja no Haiti. Em 1983, o Presidente Thomas S. Monson, na altura um membro do Quórum dos Doze Apóstolos dedicou o Haiti para a obra missionária. O Elder Andersen, da presidência da Área das Caraíbas da Igreja visitou o Haiti em Fevereiro deste ano e fez o anúncio de que árvores de fruto e de sombra seriam dadas como presente ao povo do Haiti em comemoração deste aniversário.


Nos tempos das colónias, o Haiti era conhecido como a “Pérola das Antilhas”, devido às suas riquezas naturais e economia próspera. Berthony Theodore tem um sonho que é partilhado por muitos Haitianos. “A nossa visão é de ver o Haiti a voltar a ser a Pérola das Antilhas,” concluiu.
 

Observação de Guia de Estilo: Em notícias sobre A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, pedimos que use o nome completo da Igreja na primeira referência. Para mais informações quanto ao uso do nome, aceda ao Guia de Estilo.