Comunicados de Imprensa

Depois do anúncio do templo para Portugal... o que acontece a seguir?

Anúncio da construção do Templo em Lisboa, Portugal

Este é o primeiro da sequência de eventos. Na 1ª sessão da 180ª Conferência Geral semi-anual da Igreja, em Salt Lake City, Utah, a 2 de Outubro de 2010, o Profeta Thomas S. Monson, anunciou a construção de cinco novos templos. Entre os eles está o templo de Lisboa, Portugal.

Anúncio do local onde será construído o Templo

O evento seguinte, é o anúncio do local exacto onde irá ser construído o templo. Nalguns casos, quando novos templos são anunciados, o local já existe e já foi escolhido. No caso de Lisboa, o local exacto não foi ainda divulgado. Na realidade este é um processo que não é público mas que decorre de forma natural, envolvendo os interlocutores apropriados. Quando for oportuno, será feito o anúncio oficial do local escolhido, de modo a que todos os membros da Igreja em Portugal possam saber.  A experiência mostra que após este anúncio, o terreno escolhido torna-se um local de peregrinação e visita por parte dos membros e amigos da Igreja em Portugal, sendo raros os domingos à tarde em que não se dê o encontro de velhos e novos amigos e se derramem lágrimas de alegria...

Obtenção das aprovações para o início da construção

Este é um processo moroso, complexo e delicado. Requer o envolvimento e cooperação entre diversas entidades oficiais (organismos do governo, responsáveis autárquicos e outros) e os diversos departamentos da Igreja, com o Departamento de Templos à cabeça, no sentido de obter todas as aprovações, autorizações e documentação apropriada para se passar à construção do templo. O processo pode ser mais ou menos complexo e demorado se estiverem incluídos no projecto de construção do Templo outros edifícios que farão parte do projecto de construção. Isto tem acontecido nos últimos anos - tal como se pode ver no projecto do Templo de Itália, Roma e também no templo de Madrid, Espanha. O resultado final deste processo é, para o público em geral, o anúncio da data definitiva em que se colocará a primeira pedra - a habitual cerimónia simbólica que marca efectivamente o início do processo de construção.

Instituição do comité local do Templo

Para preparar a cerimónia da Primeira Pedra, em data a anunciar, é normalmente criado um comité entre os membros da Igreja que terá a responsabilidade de organizar o evento e coordenar os aspectos logísticos do mesmo.

Cerimónia da "Primeira Pedra" e início da construção


Cerimónia da "Primeira Pedra" do Templo de Roma, Itália

A cerimónia da Primeira Pedra marca oficialmente o início da construção do Templo. Normalmente esta sessão é presidida pelo Presidente da Igreja ou um dos seus Conselheiros. Outras autoridades gerais - Apóstolos e Setentas, possivelmente irão estar também presentes nesse dia memorável, a par da liderança da Igreja na Europa e dos líderes locais em Portugal. Espera-se também a presença oficial dos membros do Governo, Autarquias e outras altas individualidades. Um exemplo recente deste evento aconteceu em Roma, Itália, no dia 23 de Outubro de 2010, data em que o Templo da "Cidade Eterna" começou a ser construído.

Funcionamento do comité local do templo

Com o início da construção, começa a funcionar um comité local da construção do templo, composto por número de subcomités que vão fazendo o acompanhamento directo de todos os aspectos que têm a ver com a edificação do templo. Este comité será apenas dissolvido quando o Templo entrar em pleno funcionamento. Algumas das responsabilidades do referido comité poderão ter a ver com:
  • Relações Públicas - convocar líderes de opinião, responsáveis políticos, representantes de outras confissões religiosas e os diversos meios de comunicação, jornalistas e outros profissionais de imprensa;
  • Logística e Facilidades (Instalações) Físicas - preparação do local exacto da cerimónia, do estrado e púlpito, dos sistemas de som e de vídeo, coordenação do estacionamento nos eventos principais, transportes públicos e privados;
  • Coro e Música  - preparação dos hinos e peças musicais que farão parte das diversas cerimónias;
  • Tradução e Interpretação - com a presença dos representantes da Igreja e das Autoridades gerais, este subcomité estará constantemente em actividade, acompanhando toda a sequência de reuniões e eventos até à abertura do Templo;
A lista acima não é exaustiva. Outras designações referentes a áreas específicas, tais com os transportes, segurança, história da Igreja em Portugal, Call-Center, entre outros, serão feitos no seio deste comité. Também se prevê que venha a ser pedido aos membros da Igreja que tenham talentos em artes plásticas e manuais que participem directamente trabalhando em algumas actividades de decoração dos interiores do Templo, à semelhança do que já aconteceu noutros projectos de construção (por exemplo, no templo de Madrid, Espanha).

Colocação da estátua do Anjo Moróni

Um dos marcos mais significativos do processo de construção de um Templo é a colocação da estátua do Anjo Moróni, no topo do agulha mais alta do edíficio. Normalmente esta é uma ocasião especial, que ocorre próximo do final do projecto de construção. Habitualmente é realizada uma reunião no local, presidida por uma Autoridade Geral, sendo de esperar a presença de milhares de visitantes de todo o país.
Uma vez mais  será organizado um comité especial que terá a responsabilidade de organizar e coordenar este evento.

Conclusão da construção do Templo

Pouco depois da colocação da estátua do anjo Moróni, o processo de construção do templo é dado como terminado. São dissolvidos os subcomités que já não são necessários e começa-se a preparação para as sessões de portas abertas e de dedicação do Templo.

Sessões de Portas Abertas

Observação de Guia de Estilo: Em notícias sobre A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, pedimos que use o nome completo da Igreja na primeira referência. Para mais informações quanto ao uso do nome, aceda ao Guia de Estilo.