Comunicados de Imprensa

O Departamento de História da Igreja Publica o Manuscrito do Tipógrafo do Livro de Mórmon

Um novo volume do "Projeto: Documentos de Joseph Smith" -  “The Joseph Smith Papers Project” - contendo o manuscrito do tipógrafo do Livro de Mórmon, foi publicado a 4 de Agosto pela Imprensa da História da Igreja, uma publicação do Departamento de História de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. "Revelações e Traduções, volume 3: O manuscrito do tipógrafo do Livro de Mórmon” é o 11º volume do projeto e reflete o esforço contínuo da Igreja de disponibilizar publicamente todos os documentos produzidos pelo fundador da Igreja, o profeta Joseph Smith ou pelos seus escribas.   

O volume está publicado em duas partes, cada uma constituída por um livro colorido, de grandes dimensões, que apresenta cada página do histórico manuscrito numa fotografia de alta resolução e a respetiva transcrição codificada por cores. Para além das fotografias e das transcrições do manuscrito, o volume também contém uma lista dos escribas e tipografias envolvidas na sua criação e a impressão da edição de 1830 do Livro de Mórmon.

"De alta qualidade, imagens coloridas do mais completo manuscrito inicial do Livro de Mórmon, concedem aos leitores deste volume um acesso sem precedentes, como se tivessem nas suas mãos o próprio original", disse o assistente do historiador e registador da Igreja Richard E. Turley Jr.
A publicação do volume constitui um marco importante de uma colaboração de longa data entre os historiadores da Igreja do Departamento de História e a Comunidade de Cristo (anteriormente designada de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias Reorganizada).

"Estamos muito satisfeitos como facto deles colaborarem connosco neste processo e por serem administradores excepcionais deste documento de valor inestimável", disse o Elder Steven E. Snow, do Quórum dos Setenta, que serve na função de historiador e registador da Igreja e diretor executivo do Departamento de História da Igreja. "É fantástico podermos cooperar uns com os outros como temos feito até aqui e podermos publicar este volume em particular. Eu acho que os membros de ambas as igrejas vão considerá-lo mesmo muito interessante." A Igreja tem ajudado na conservação do documento.

"Bom, eu acho que é realmente notável", disse Ronald E. Romig da Comunidade de Cristo e diretor do Centro de Visitantes do Templo de Kirtland. "Recordo-me da altura em que não havia tanto colaboração como existe hoje, e isso tem sido muito benéfico e sinto-me grato por hoje ser assim."
Romig acrescentou ainda: "Estamos muito agradecidos aos estudiosos e aos funcionários que trabalharam no Projeto: Documentos de Joseph Smith. Não só os considero como amigos e colegas chegados, em muitos casos, como também... acabei por realmente valorizar a sua contribuição na conservação, não só deste manuscrito em particular, como de muitos dos documentos e escrituras sagradas da restauração, e na sua disponibilização para aqueles que, de outro modo, nunca teriam acesso a eles, a menos que fossem estudiosos académicos . "

Os Mórmons consideram o  Livro de Mórmon como um livro de escrituras e um companheiro da Bíblia nos seus estudos, acreditando que contém o registo das civilizações antigas da América e que é um outro testamento de Jesus Cristo. 

Do início de abril até ao final de junho de 1829, Joseph Smith ditou o atual texto do Livro de Mórmon a partir de um antigo registo. Este primeiro manuscrito, que ele e os seus escribas criaram, é conhecido como o manuscrito original e a sua publicação está prevista para um volume futuro dos Documentos de Joseph Smith. Só cerca de 30 por cento do manuscrito original é que sobreviveu em virtude de danos significativos causados pela água no decurso do século 19. A maioria do manuscrito encontra-se na  Biblioteca de História da Igreja, em Salt Lake City.

Depois do manuscrito original ter sido concluído e Joseph Smith ter assegurado os serviços de um tipógrafo, Smith determinou que uma segunda cópia do texto fosse criada, a qual ficou conhecida como o manuscrito do tipógrafo. A criação dos manuscrito do tipógrafo permitiu a preservação em segurança do manuscrito original enquanto a segunda cópia era levada para Palmyra, New York, à  tipografia de E. B. Grandin, onde foi usada para produzir a primeira edição do Livro de Mórmon.

O manuscrito do tipógrafo foi eventualmente obtido pela Comunidade de Cristo, que tem sede em Independence, Missouri. A Comunidade de Cristo tem mantido estes manuscritos ao longo de mais de 100 anos e autorizou a sua apresentação neste volume. O manuscrito do tipógrafo está praticamente completo, faltando-lhe apenas três linhas do texto original.
Um artigo extra sobre a história da tradução do Livro de Mórmon será publicado na revista da Igreja Ensign em outubro de 2015, o qual se encontra  atualmente disponível online. Tanto a introdução para o novo volume  como o artigo da revista abordam os instrumentos usados por Joseph Smith no processo de tradução, e ambos incluem fotografias nunca antes publicadas de uma pedra de vidente provavelmente usada por Joseph Smith  na tradução do Livro de Mórmon.

A pedra que utilizada na tradução foi muitas vezes referida como sendo uma pedra cor de chocolate e com uma forma oval. A pedra foi passada de Joseph Smith para o seu escriba Oliver Cowdery e depois, da viúva de Cowdery, Elizabeth Whitmer Cowdery, para Phineas Young. Phineas Young, mais tarde, passou-a para o seu irmão, Brigham Young, o segundo presidente da Igreja. Depois da morte do Presidente Young, uma das suas esposas, Zina D. H.Young, doou-a à Igreja. Para além dessa pedra de vidente, os registos históricos indicam que Joseph Smith possuía outras pedras de vidente no decurso da sua vida.

O projeto foi aprovado pela Comissão Nacional de Publicações e Registos Históricos (NHPRC), uma divisão do Arquivo Nacional. Os volumes dos Documentos de Joseph Smith são submetidos a meticulosas revisões por parte de estudiosos da Igreja e de estudiosos externos.

Prevê-se que a edição impressa dos Documentos de Joseph Smith atinja mais de 20 volumes à sua conclusão. Esta encontra-se dividida em seis séries: Diários, Revelações e Traduções, Histórias, Documentos, Registos Administrativos e Registos Jurídicos e de Transações Comerciais. O primeiro volume do projeto foi publicado em 2008. Para mais informações, visite  josephsmithpapers.org.

Observação de Guia de Estilo: Em notícias sobre A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, pedimos que use o nome completo da Igreja na primeira referência. Para mais informações quanto ao uso do nome, aceda ao Guia de Estilo.