Declaração Oficial

Declaração da Igreja sobre alegações de abuso sexual por ex-presidente de missão

Em resposta a perguntas de vários meios de comunicação sobre as alegações de que um antigo presidente de missão da Igreja cometeu abuso sexual, A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias publicou a seguinte declaração na terça-feira, 20 de março de 2018.

Estas alegações são muito sérias e profundamente perturbadoras. Se as alegações de abuso sexual forem verdadeiras, será uma trágica traição dos nossos padrões e resultará numa ação disciplinar formal pela Igreja a qualquer membro que for culpado de tal comportamento, principalmente alguém numa posição de confiança.
 

Este assunto foi trazido à atenção da Igreja, em 2010, quando uma ex-membro da igreja, que serviu como missionária em 1984, disse aos líderes da estaca de Pleasant Grove Utah West que ela tinha sido abusada sexualmente pelo Presidente do Centro de Treinamento Missionário de Provo, Joseph Bishop, 25 anos antes. Os líderes ouviam atentamente as alegações e isso foi imediatamente comunicado à polícia de Pleasant Grove que a interrogou nessa altura. A Igreja não conhece o que ela disse no interrogatório, e não recebeu nenhuma outra comunicação da polícia sobre o assunto.
 

Ao mesmo tempo, a Igreja comunicou essas alegações aos líderes eclesiásticos locais de Joseph Bishop. Esses líderes reuniram-se com o Sr. Bishop, que negou as acusações. Impossibilitados de verificar as alegações, não aplicaram nenhuma ação disciplinar formal da igreja ao Sr. Bishop naquela época.
 

O assunto ressurgiu em 2016, quando a mesma pessoa entrou em contato com um presidente de estaca em Pueblo, Colorado, e em seguida, novamente há algumas semanas, em janeiro de 2018, quando a Igreja foi contatada por um advogado para representá-la. Ele forneceu a cópia de uma gravação que ela tinha feito de uma conversa entre ela e Joseph Bishop, com então 85 anos, em dezembro de 2017. Desde aquela época, a Igreja envolveu-se numa investigação das alegações dessa pessoa. No decorrer dessa investigação, tanto ela como o Sr. Bishop foram entrevistados por advogados externos. Não surpreendentemente, as histórias, cronogramas e lembranças dos envolvidos são drasticamente diferentes. Esta mulher reafirmou as suas alegações, e o Sr. Bishop novamente negou todas elas. Não temos registro de uma entrevista entre o Élder Carlos E. Asay (1926-1999) e essa pessoa.
 

A Igreja, como organização religiosa, não tem as ferramentas de investigação disponíveis às entidades policiais. A Igreja também não se substitui aos tribunais para julgar denúncias legais. A Igreja tem grande fé no sistema judicial para determinar a verdade dessas alegações. No entanto, a Igreja leva a sério a sua responsabilidade de manter os seus membros responsáveis por sua conduta com respeito às leis de Deus e dos homens. Para esse efeito, a Igreja continua a investigar as alegações dessa pessoa e atuará de acordo com a sua política de longa data, de tolerância zero ao abuso.

Declaração atualizada

23 de março de 2018

Compartilhamos a indignação e a angústia que os membros da Igreja e outras pessoas sentem ao tomar conhecimento de incidentes em que os detentores de responsabilidades sagradas violam os mandamentos de Deus e magoam os outros. Tal comportamento é repulsivo e pecaminoso. A Igreja está examinando todos os aspetos das afirmações sobre a gravação de Joseph Bishop. Isso inclui o trabalho de assessores jurídicos externos, que estão entrevistando líderes do sacerdócio, membros da família, agentes da lei e outros com conhecimento desses incidentes.
 

Estamos cientes de uma outra mulher (que é referenciada na gravação de dezembro) que informou os seus líderes eclesiásticos locais de que ela foi abusada sexualmente por Joseph Bishop enquanto ele servia como presidente do Centro de Treinamento Missionário. Quando ela denunciou o suposto abuso aos seus líderes locais da Igreja em 2010, eles forneceram apoio emocional e serviços de aconselhamento profissional. Os líderes eclesiásticos locais do Sr. Bishop foram contatados, e eles o confrontaram com as suas alegações, o que ele negou. Os líderes locais não sentiram que poderiam prosseguir com o processo disciplinar da igreja contra o Sr. Bishop.
 

Na quarta-feira, a Igreja, juntamente com os meios de comunicação, recebeu o relatório policial provisório da policia da BYU, que incluía uma admissão de conduta sexual inapropriada. Estamos comprometidos em trazer à responsabilidade o que aconteceu.
 

O abuso sexual não pode ser tolerado na Igreja. Continuamos a pedir aos nossos líderes que levem muito a sério as denúncias de abuso. Os líderes devem ligar para a linha telefónica da Igreja de apoio a vitimas de abusos, que foi estabelecida para garantir que as vítimas sejam cuidadas e que as leis de denúncia de abuso sejam estritamente obedecidas.
 

Observação de Guia de Estilo: Em notícias sobre A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, pedimos que use o nome completo da Igreja na primeira referência. Para mais informações quanto ao uso do nome, aceda ao Guia de Estilo.