Comunicados de Imprensa

A Tocha Olímpica, transportada por um reconhecido membro da Igreja

Há uma pessoa que nunca se esquecerá do dia em que a tocha olímpica, no seu percurso em torno do Reino Unido, passou pela cidade de Newcastle upon Tyne, antes de alcançar o Estádio Olímpico de Londres, a 27 de julho de 2012. David Graydon, da ala de Gateshead, estaca de Sunderland Inglaterra foi nomeado para carregar a tocha pelos jovens com quem trabalha como animador no Conselho da Juventude de Gateshead. David foi escolhido pela diferença que tem feito na comunidade onde ajuda os jovens a envolver-se em atividades na área onde residem.

Ele está sempre disponível para os ajudar nos seus trabalhos, bem como a participar do Duke of Edinburgh Award Scheme, um programa de desenvolvimento pessoal para os jovens com idades entre os 14 e os 24 anos que inclui voluntariado, desafios desportivos, desenvolvimento de competências e uma excursão. O Duque de Edimburgo, o Príncipe Philip, que iniciou o programa em 1956, entrega pessoalmente as medalhas de ouro em diversos eventos realizados ao longo do ano e mais de 4 milhões de jovens, de 60 países diferentes, já se envolveram neste programa.

O revezamento da tocha olímpica faz parte da tradição dos Jogos Olímpicos. Quando a chama deixa a Grécia em direção ao país anfitrião, organizam-se excursões pelas cidades e vilas por onde passa para que as pessoas a possam ver, até alcançar por fim o estádio, dando início aos jogos. Assim, milhares se congregaram ao longo das ruas das cidades por onde se deu o revezamento para terem um vislumbre da famosa chama olímpica que era carregada por pessoas nomeadas pelas suas boas obras em prol da comunidade e que, como David, inspiram outros por meio das suas realizações.

O David carregou a tocha a 15 de junho, no 28º Dia do revezamento, pelas ruas de Newcastle upon Tyne, a nordeste de Inglaterra, aplaudido por multidões que agitavam a bandeira Britânica e inundavam as ruas do centro da cidade, especialmente fechadas ao trânsito para o evento. A tocha olímpica tinha sido passada ao David pelo mundialmente famoso jogador de futebol Britânico, nascido em Newcastle upon Tyne, Jack Charlton, que jogou na equipa Britânica vencedora da Copa do Mundo em 1966 e que geriu a seleção da República da Irlanda de 1986 a 1995 levando a que a Irlanda chegasse por duas ocasiões às finais da Copa do Mundo, tornando-se assim numa lenda do futebol para muitas pessoas. David foi escolhido para ser uma das 8.000 pessoas que carregaram a tocha, ao longo do seu percurso de quase 13.000 quilómetros, realizado em 70 dias de viagem, para a Cerimônia de Abertura dos Jogos Olímpicos em Londres a 27 de julho. David comentou: “Ter sido nomeado para carregar a tocha olímpica pelos jovens com quem trabalho foi uma grande honra. Eu adoro o meu trabalho e ver os jovens a crescer e a desenvolver-se é a melhor recompensa que existe. Saber que eles valorizam a minha contribuição e nutrem um sentimento tal que os leva a nomear-me faz-me sentir verdadeiramente humilde.”

O David filiou-se à Igreja quando tinha 17 anos em Dublin, na Irlanda e serviu uma missão de tempo integral na Missão de Leeds Inglaterra de 1990 a 1992. Ele já serviu em diversos cargos da Igreja desde o cargo de professor da escola dominical a cargos de liderança local.

Desde o dia em que carregou a tocha, David já teve a oportunidade de discursar em escolas e perante grupos comunitários acerca da honra que representou carregar a mesma. Foi convidado para dar abertura a um evento escolar – “um dia de desporto escolar” – destinado a ser um dia de diversão em família e, mais recentemente, licenciou-se pela Universidade de Sunderland em Estudos de Trabalho Comunitário e com a Juventude.

David afirmou que: “Carregar a Tocha Olímpica foi um dos melhores dias da minha vida. O dia inteiro foi fantástico, conhecer os demais portadores da tocha daquele dia e receber instruções, entrar no autocarro e percorrer a rota da tocha e ver todas as pessoas a acenar e a aplaudir.”

Observação de Guia de Estilo: Em notícias sobre A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, pedimos que use o nome completo da Igreja na primeira referência. Para mais informações quanto ao uso do nome, aceda ao Guia de Estilo.