Comunicados de Imprensa

A Igreja de Jesus Cristo celebra 40 anos em Portugal

Espetáculo musical e cultural junta centenas de pessoas em Oeiras

Em meados de 1974, chegam a Portugal os primeiros missionários de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Começam a ensinar de imedato o evangelho restaurado de Jesus Cristo e os primeiros conversos portugueses são batizados em poucas semanas.

Quarenta anos depois, a 12 e a 13 de Maio de 2014, uma nova geração recordou esses primeiros pioneiros numa celebração cultural realizada no centro de estaca (semelhante a uma diocese) de Oeiras e que foi vista por centenas de pessoas. O espectáculo multimédia culminou dois dias de diversos eventos celebrando esta data especial e que contaram com a visita do Elder Steven E. Snow, director executivo do Departamento da História da Igreja e do Elder José A. Teixeira, presidente da Área da Europa, acompanhados das suas esposas. O Presidente Fluckiger, da Missão Portugal Lisboa, foi o anfitrião.

No dia 12 de Maio, realizou-se uma reunião familiar especial na casa da missão, no Restelo, em Lisboa. A casa da missão, residência do Presidente Fluckiger, tem um grande significado na história da Igreja em Portugal. Foi nesse local, que muitos dos primeiros conversos ao evangelho restaurado de Jesus Cristo se batizaram e foram confirmados membros da Igreja. Os convidados desta reunião familiar eram, na sua maioria, membros que foram batizados no período que decorreu entre 1974 e 1980. Este primeiro punhado de membros acabaria por se constituir na prática como a base sólida para o futuro crescimento que a Igreja viria a ter nos anos seguintes.

O Elder Steven E. Snow aludiu na sua intervenção a esse espírito 'pioneiro' que os primeiros conversos a serem batizados representaram para o estabelecimento da Igreja no nosso país. Afirmou que "o legado de fé e de compromisso que deixam para todos os outros conversos que lhes sucederam é inquestionável e o mesmo foi vital para o crescimento rápido que a Igreja veio a ter nos anos seguintes'. Incentivou os presentes a não esquecerem os 'sentimentos e o doce espírito que sentiram nessa altura e a renovarem a sua fé a cada dia'.

Os primeiros membros da Igreja em Portugal

Nesta reunião familiar especial, uma apresentação dos primeiros anos da Igreja em Portugal mencionou o ambiente e o contexto histórico e social que se vivia no país, logo após a revolução de Abril de 1974. Apesar dos desafios e dificuldades que se sentiam nas ruas e nos lares portugueses, a mensagem do evangelho restaurado de Jesus Cristo rapidamente começa a conquistar o coração das familias, especialmente aqueles que buscavam algo mais.

De facto, uma boa parte dos primeiros membros da Igreja em Portugal passa também pela conversão dos chamados 'retornados', famílias que haviam vivido nas antigas colónias portuguesas de África e que tinham sido forçadas a abandonar as suas casas e bens, tendo voltado para Portugal de forma dramática e apressada.

Estas famílias estavam talvez mais despertas e abertas para receber as boas novas do evangelho. Com maior facilidade franqueavam as portas das suas casas para receber os primeiros missionários em Portugal. O facto de estes serem também estrangeiros em Portugal - os primeiros missionários eram oriundos do Brasil e dos Estados Unidos da América - pode ter sido também decisivo na forma como foram recebidos.

Despojadas de bens materiais e após terem passado por momentos díficeis e traumáticos, estas famílias manifestavam uma maior sensibilidade para escutar e aceitar uma mensagem de esperança e fé, fundamentadas na comprensão do propósito da vida e do plano que o Pai Celestial tem para os seus filhos aqui na terra. Diversas famílias, em diferentes pontos do país e com esta origem, viriam a ser batizadas nos primeiros anos da Igreja em Portugal.

Com o rápido crescimento da Igreja, o número de missionários em Portugal aumenta também. Espalham-se pelo país e outras cidades, para além de Lisboa, começam a notar a sua presença nas ruas, sempre em duplas. Estes jovens rapazes ou raparigas são na maioria norte-americanos ou brasileiros. Apesar do sotaque brasileiro ou americano com que falam a nossa língua, conseguem-se fazer entender. Têm mesmo muito sucesso e cada vez mais pessoas acabam por aceitar ser batizadas e filiar-se à Igreja.

O Elder José A. Teixeira e a sua familia foram das primeiras a ser batizadas em Coimbra. Mais tarde o Elder Teixeira viria ele mesmo a ser um missionário a tempo inteiro. Tal como todos os outros missionários, realiza esse trabalho de forma voluntária, sem ser remunerado. Sente uma grande satisfação pessoal e alegria por poder dedicar dois anos da sua vida a ensinar o evangelho de Jesus Cristo.

Na reunião familiar realizada no Restelo em Lisboa, quase 40 anos depois, recorda esses tempos e aproveita para desafiar os presentes a escreverem as suas histórias pessoais. 'É fundamental escrever a nossa história e registar aquilo que vivemos e sentimos', afirmou, 'para que este legado de fé possa ser passado para as novas gerações. A história da Igreja em Portugal não é mais do que a soma das histórias de conversão das famílias e de indivíduos que decidiram mudar as suas vidas e seguirem o exemplo de Jesus Cristo. Por esta razão, se não o fizemos ainda, devemos escrever e registar as nossas histórias pessoais, para que a história comum da Igreja em Portugal seja mais rica e sirva também de fonte de inspiração para os nossos filhos', concluiu.

A noite familiar, que contou com mais de 30 membros "pioneiros", terminou com uma sessão de fotos junto ao local onde se realizaram os primeiros batismos na casa da missão.

Logo 40years

Visita ao local de dedicação de Portugal

No dia seguinte, após um périplo pelos monumentos e locais mais emblemáticos de Lisboa e que contam a história de Portugal e dos descobrimentos, foi feita uma incursão à serra de Sintra, local onde a Portugal foi dedicado para a pregação do Evangelho restaurado de Jesus Cristo. Esta prática de consagração do país à pregação do envagelho segue o modelo instituido pela Igreja, pouco tempo após a sua criação em 1830. Cada novo país em que a Igreja está autorizada a estar presente, recebe uma benção apostólica por parte de um dos integrantes do Quórum dos Doze Apóstolos ( o segundo orgão de governos mais elevado da Igreja).

A dedicação, feita pelo Presidente Thomas S. Monson, à altura um membro do Quórum dos Doze Apóstolos, foi realizada no ano de 1975. Uma placa, que conta com um trecho da oração de dedicação então proferida, está aposta num dos penedos e a assinala o local exacto onde se realizou em simples cerimónia.

O Elder Snow e o Elder Teixeira, junto com uma comitiva composta por alguns membros da Igreja, foram guiados até ao local pelo Elder Joaquim Moreira, Setenta de Área para Portugal e Cabo Verde. Foi realizada uma curta reunião no local, tendo sido recordada parte da oração dedicatória. O Elder Teixeira agraciou o Elder Steven E. Snow com a entrega de um sextante, instrumento de navegação marítima inventado pelos primeiros navegadores e descobridores portugueses e que lhes permitia manter o rumo em direção ao seu destino final.

O Elder Snow expressou a sua imensa satisfação por receber algo tão simbólico e significativo. Afirmou que 'nos nossos dias, o Espírito Santo cumpre hoje o papel do sextante de outrora, ao nos manter alertas e atentos aos perigos que surgem nesta jornada terrena'. Como director executivo do Departamento da História da Igreja (com sede em Salt Lake City, em Utah), confirmou que esta rara peça passará a fazer parte do imenso espólio do departamento e que está disponível públicamente.

Celebração cultural

DSC00117

O dia terminaria mais tarde, com uma celebração cultural composta por teatro, música, dança, realizada na capela de Oeiras. O espetáculo havia sido preparado por uma equipe de mais de 20 pessoas em regime de voluntariado. Os atores, artistas e cantores, todos amadores, representavam as novas gerações da Igreja.no nosso país, descendente dos primeiros membros da Igreja em Portugal.

A concepção do espetáculo passava por celebrar a história de Portugal, com especial foco nos anos que se sucederam ao 25 de Abril de 1974 e na implantação da Igreja no nosso país nesses primeiros anos. Foram apresentados quadros representativos dos momentos mais marcantes dessa era, como os Descobrimentos, a Revolução dos Cravos, a chegada dos primeiros missionários americanos, as primeiras conversões, o crescimento e expansão da Igreja por todo o país, os desafios para os próximos anos, o templo da Igreja em Portugal.

Wallace Pinegar, o primeiro Presidente da Missão Portugal Lisboa e que viveu no no nosso país de 1975 a 1978, participou do espetáculo com uma emotiva intervenção gravada em video. Entre lágrimas, disse que os anos que havia passado em Portugal tinham sido dos melhores anos da sua vida e que sentia saudades do contacto e do amor dos portugueses.

Tudo o espetáculo foi entrecortado por diversos momentos musicais e rábulas humorísticas. O fado e o folclore tradicional português, fizeram furor na plateia. No final dos 50 minutos, uma estrondosa ovação por parte dos mais de 500 espetadores confirmava que as expetativas haviam sido superadas e que o esforço, dedicação e o trabalho realizado pela centena de artistas que subiram ao palco havia sido reconhecido por todos.

Nas palavras de uma das participantes do espetáculo, Débora Justo, este momento será lembrado para sempre. 'Assim que subi ao palco', afirmou, 'senti a energia e o amor de toda a platéia. Isso fez com que mesmo rouca, conseguisse representar o meu papel de forma da melhor maneira possível'. Concluiu dizendo que 'nunca esquecerei o doce e cálido sentimento que invadiu o meu coração e que engrandeceu o meu testemunho do Evangelho restaurado. Foi maravilhoso poder participar deste momento histórico. Valeu a pena todo este trabalho!'

A celebração dos 40 anos da Igreja em Portugal vai continuar com diversos eventos públicos realizados ao longo do ano, em várias zonas do país. Este projeto foi iniciado pelo historiador da Igreja em Portugal, Ricardo Costa Lima.

Observação de Guia de Estilo: Em notícias sobre A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, pedimos que use o nome completo da Igreja na primeira referência. Para mais informações quanto ao uso do nome, aceda ao Guia de Estilo.